Meu perfil
BRASIL, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese, English


Histórico:

- 09/12/2007 a 15/12/2007
- 02/12/2007 a 08/12/2007
- 25/11/2007 a 01/12/2007
- 18/11/2007 a 24/11/2007
- 04/11/2007 a 10/11/2007
- 30/09/2007 a 06/10/2007
- 23/09/2007 a 29/09/2007
- 16/09/2007 a 22/09/2007
- 09/09/2007 a 15/09/2007
- 22/07/2007 a 28/07/2007
- 15/07/2007 a 21/07/2007
- 08/07/2007 a 14/07/2007
- 01/07/2007 a 07/07/2007
- 24/06/2007 a 30/06/2007
- 17/06/2007 a 23/06/2007
- 10/06/2007 a 16/06/2007



Outros sites:

- Blog da Tia Patty
- Blog da Michelle Stephane
- Blog da Fabiana Conceição
- Blog da Naiara
- Blog da Lais
- Blog da Sharon
- Blog Beauty Lounge
- Blog da Pri
- Blog da Biana
- Blog da Mila Vandroya


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Status no MSN: Pegue o seu no Templates by Maximus
Depois de Mitologia Egípcia, qual é o assunto que deve ser postado?
Mitologia Asteca
Mitologia Celta
Mitologia Nórdica
Mitologia Hindu
Temas Biológicos

Neste momento: Online



Deuses

Olá
Mais um post
E mais uns deuses pra galera


Khnum

Era representado como um homem com cabeça de carneiro, por vezes tendo uma jarra ou coroa dupla sobre os cornos. O seu nome significa "o modelador".
É um deus com origens antigas, que possivelmente remontam à época pré-dinástica. Do ponto de vista geográfico, encontrava-se ligado à zona sul do Egito e à Núbia.
Este deus representava os aspectos criativos; acreditava-se que Khnum regulava as águas do Nilo, das quais os egípcios dependiam para a sua sobrevivência. A vida no Antigo Egito estava regulada pelas inundações anuais do Nilo que traziam uma argila que fertilizava os campos e assim permitia a prática agrícola.
Estava também ligado à criação dos seres humanos. No seu torno formava não só a carne dos humanos, mas também o seu "ka" (alma). Por esta razão, era também representado no ato da criação dos novos seres. No seu torno também criou o ovo do qual saiu Ré, que por sua vez gerou os outros deuses.
Em Elefantina Khnum formava uma tríade (agrupamento de três deuses) com as deusas Satis e Anuket. Na cidade de Esna formava uma tríade com Satis e Neit.
Uma tradição afirma que o rei Djoser estava preocupado com uma fome de sete anos que se tinha abatido sobre o Egito. O rei compreende que esta situação esta associada ao fato de Khnum não permitir a circulação das águas do Nilo, que prende com as suas sandálias. O rei decide então realizar oferendas à divindade, que surge num sonho a pedir que continue a honrá-lo convenientemente. Esta história encontra-se gravada num estela da época ptolomeica, conhecida como a "estrela da fome" e é provável que tenha pouco valor histórico, dado longo período de tempo que decorre entre Djoser e a era ptolomeica.



Hieróglifo de Khnum


Khonsu

Khonsu (ou Khons, Chons, Khensu) é o deus da Lua, do tempo e do conhecimento. Filho de Amun e Mut. Khonsu é um grande admirador de jogos e é frequentemente visto jogando Senet com Thoth.
Algumas vezes era representado com a cabeça de falcão, pois era um deus dos céus. Cada uma das fases da lua era contada como fazes de sua vida, começando com a infantil até adulta e retornando quando a lua minguava.



Hieróglifo de Khonsu


Maet

Na mitologia egípcia, Maet ou Maat é a deusa da Justiça e do Equilíbrio. É representada por uma mulher jovem portando em sua cabeça uma pluma. É irmã de Rá, o deus do Sol e esposa de Tot, o escriba dos deuses com cabeça de ibis. Com sua pena da verdade ela pesa as almas de todos que chegassem ao seu Salão de Julgamento subterrâneo. Ela coloca sua pluma na balança e no prato oposto o coração do falecido. Se os pratos ficassem em equilíbrio, o morto podia festejar com as divindades e os espíritos da morte. Entretanto, se o coração fosse mais pesado, ele era devolvido para Ammut (deusa do Inferno, que é parte hipopótamo, parte leão, parte crocodilo) para ser devorado. Como se vê, os deuses egípcios não eram pessoas imortais para serem adoradas, mas sim ideais e qualidades para serem honradas e praticadas.



Hieróglifo de Maet


Min

O deus primordial de Coptos; depois venerado como um deus da fertilidade e aproximadamente associado com Amon; representado como uma estátua humana. Um humano ou um deus mumificador, Min é descrito com um falo ereto. Ele leva um mangual na mão direita, que se encontra elevada, e usa uma coroa com duas plumagens. Ele é o protetor da fertilidade e das viagens no deserto.



Hieróglifo de Min

Espero que gostem e em breve estarei lançando mais um blog, só q é somente sobre paleontologia!
Assunto no qual tb me apaixonei!
Ehheheheehh
bjs



- Postado por: Angelus às 18h32
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




Mais Deuses

Olá, pessoas que visitam e deixam comentários e pras q deixam tb!
Eheheheheeh
Estou estagiando com Paleontologia no museu nacional e tenho gostado mt disso td, acho q finalmente me achei dentro da biologia, mesmo que ainda curta alguns outros assuntos de verdade. Logicamente em breve irei postar coisas sobre esse lindo assunto q estou aprendendo a desbravar!

Bes

Bes era uma antiga divindade egípica representada por um anão robusto e monstruoso. Era o bobo dos deuses, senhor do prazer e da alegria.
Aparência
Um anão gordo e barbudo, feio ao ponto de se tornar cómico. Ele é muitas vezes representado com a língua de fora e segurando um chocalho. Quando esculpido ou pintado na parede, ele nunca aparece de perfil, mas sempre de frente, o que é único na arte egípcia. Também existem representações de Bes com características felinas ou leoninas.


- Descrição

Bes é um deus pouco vulgar. Ele não parece ser egípcio, mas de onde ele vem é desconhecido. Ele parece-se com deuses encontrados na África central e do sul. Bes era inicialmente o protetor do parto. Durante o nascimento, Bes dançava à volta do quarto, abanando o seu chocalho e gritando para assustar demónios que de outro modo poderiam amaldiçoar a criança. Depois da criança nascer, Bes ficava ao lado do berço entretendo o bebê. Quando a criança ria ou sorria sem motivo aparente, acreditava-se que Bes estava algures no quarto a fazer caretas.



Hieróglifo de Bes


Hapi

Hapi era uma divindade da mitologia egípcia que personificava as águas do rio Nilo durante a inundação anual a que o Antigo Egito estava sujeito entre meados de Julho e Outubro.
Hapi não tinha templos a si dedicados, mas era associado à região da primeira catarata do Nilo (ilha de Biga, onde se dizia que residia) ou ao vértice do Delta do Nilo, perto da cidade do Cairo. Apesar disso, o deus era popular um pouco por todo o Egito.
Era por vezes representado de forma duplicada no símbolo do sema-taui, onde surge a atar as duas plantas heráldicas do Alto Egito e do Baixo Egito, o lótus e o papiro (Cyperus papirus).
Apenas o faraó Siptah mencionou o deus Hapi na sua titulatura: o seu nome de Hórus apresenta-o como "amado de Siptah".

- Iconografia

Hapi era representado como um homem com ventre proeminente e com seios, que veste a cinta dos pescadores e barqueiros. Na sua cabeça tinha o lótus e o papiro ou segurava estas plantas nas suas mãos. A sua pele poderia ser pintada de azul ou verde, duas cores associadas entre os antigos Egípcios à fertilidade. Era também representado a derramar água de jarros ou a levar mesas e bandejas com alimentos.

- Relações com outras divindades

Hapi era associado ao deus Osíris, outra divindade com características relacionadas com a fecundidade. Enquanto que Hapi personificava as águas do Nilo, Osíris era a força fertilizante destas águas. Teria sido também Hapi a alimentar no seu seio Osíris, ajudando desta forma na ressureição do deus.
A sua esposa era a deusa Sekhmet. Outros deuses relacionados com Hapi eram Ísis (cujas lágrimas eram vistas como a causa da inundação do Nilo) e Khnum (divindade ligada às cataratas do Nilo).



Hieróglifo de Hapi


Hathor

Hathor é uma das deusas mais veneradas do Egito Antigo, a deusa das mulheres, dos céus, do amor, da alegria, do vinho, da dança, da fertilidade e da necrópole de Tebas. É a legítima portadora do sistro. Ela também era venerada pois trazia a felicidade e era chamada de "dama da embriaguez" e muito celebrada em festas.
Ela era cultuada em todo o Egito, em especial em Denderá, e as mulheres solteiras oravam para ela para enfeitiçar seus espelhos de metal. Hathor (ou het-heru) era associada com Ísis e com Bastet, porém, esta Hathor mais conhecida é a reformulação de uma Hator pré-dinástica, muito mais antiga, da qual pouco foi revelado e muito foi ocultado pela classe sacerdotal. Seu poder era tão grande que, mesmo com estas reformulações e confusões, em mais de uma dinastia o Faraó era considerado filho de Hathor ou seu consorte.
Ela é representada de várias formas ao longo da história e pré-história egípcia:
- como uma mulher com chifres na cabeça portando o disco solar;
- como uma mulher com orelhas de vaca;
- como uma mulher com cabeça de vaca portando o disco solar;
- como uma vaca, com disco solar entre os chifres.



Figura de Hathor


Depois tem mais hein!
Bjs e abraços!!



- Postado por: Angelus às 16h57
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________




*Esse layout é uma criação exclusiva de Bruno Maximus*